Representações de gênero no universo kitsch de Amor, Plástico e Barulho de Renata Pinheiro - Sorbonne Université Access content directly
Journal Articles Via Atlântica Year : 2018

Representações de gênero no universo kitsch de Amor, Plástico e Barulho de Renata Pinheiro

Abstract

Quase sempre associado à cultura popular, o kitsch tem um lugar importante na sociedade brasileira. Se essa estética influencia a música e a televisão, os cineastas brasileiros procuraram no kitsch não apenas estratégias para atrair o público, mas também para repensar a política em alguns momentos importantes da história brasileira. Neste artigo, propomos uma análise do filme Amor, plástico e barulho (2013), de Renata Pinheiro, no qual a diretora nos leva ao universo das periferias de Recife através dos sonhos e das desilusões de Shelly e Jaqueline, duas dançarinas/cantoras do grupo Brega Show. Na sua mise en scène, Renata Pinheiro adota uma estética kitsch, aproximando-nos do universo dessas personagens e revelando todas as complexidades das relações sociais de classe e gênero na sociedade brasileira.

Dates and versions

hal-03826305 , version 1 (24-10-2022)

Identifiers

Cite

Alberto Da Silva. Representações de gênero no universo kitsch de Amor, Plástico e Barulho de Renata Pinheiro. Via Atlântica, 2018, 33, pp.365-378. ⟨10.11606/va.v0i33.140255⟩. ⟨hal-03826305⟩
8 View
0 Download

Altmetric

Share

Gmail Facebook X LinkedIn More